Beba o Cálice

Série “A Cruz”

 

Lucas 22:39-46

“Segundo o seu costume, saiu para o monte das Oliveiras, e os discípulos seguiram-no. Chegado àquele lugar, disse-lhes: Orai para que não entreis em tentação. E separou-se deles cerca de um tiro de pedra e, ajoelhando-se, orou, dizendo: Pai, se é do teu agrado, afasta de mim este cálice; contudo, não se faça a minha vontade, mas sim a tua. Então, lhe apareceu um anjo do céu, que o fortalecia. Estando em agonia, orou com mais instância; o seu suor tornou-se em gotas de sangue a cair sobre a terra. Depois de levantar-se da oração, foi ter com os discípulos, e achou-os dormindo de tristeza, e disse-lhes: Por que dormis? Levantai-vos e orai, para que não entreis em tentação.

 

Introdução

         A Obra da Cruz começou com a decisão do Getsêmani. Jesus podia ter desenvolvido todo seu ministério normalmente durante os três anos e meio que esteve aqui na terra, mas se no momento do Getsêmani Ele tivesse recusado o Cálice, tudo teria sido em vão.

         Nós teremos também nossos momentos de decisões, que validarão ou não a nossa entrega e fidelidade, momentos que confirmarão se estamos dispostos a Beber o Cálice, ainda que seja difícil, ainda que nos custe tudo.

         Somente na hora em que o nosso suor se transforma em sangue, o nosso comprometimento será pleno, a nossa fidelidade será aprovada no teste de Deus.

 

Como de Costume

         Lendo esse texto de Lucas, que retrata o início da poderosa Obra da Cruz, podemos perceber logo no início, que Jesus saiu para o Getsêmani, aos pés do monte das oliveiras como costumava fazer, ou seja, ir àquele lugar secreto e orar, não era algo que Jesus resolveu fazer porque estava angustiado, era algo que Ele fazia frequentemente estando feliz ou triste.

         A Palavra de Deus nos ensina em Hebreus 4:16, que devemos nos achegar com confiança diante do Trono da Graça, para encontrarmos Misericórdia e Graça, para socorro em ocasião oportuna. Isto significa que, se vivermos na Presença de Deus em todo o tempo, no momento em que for mais difícil ser fiéis a Ele e nos manter de pé, nós encontraremos Misericórdia e Graça, e essa será a ocasião oportuna para o Pai nos mostrar o seu socorro.

         Se você frequenta o “Getsêmani” sempre, no dia em que precisar suar sangue, haverá muitos anjos te fortalecendo ali.

 

O Agrado do Pai

         Algo que pode nos deixar confusos e a outros até mesmo escandalizados, é o fato de Jesus ter dito, que se fosse do agrado do Pai, Ele o livrasse de Beber o Cálice. Obter uma resposta negativa do Pai, parece muito estranho. Não era do agrado do Pai livrar Jesus do sofrimento?

         Mais ainda podemos nos escandalizar, se lermos a profecia de Isaías no capítulo 53, onde ele diz: “Todavia foi do agrado de Jeová esmagá-lo; deu-lhe enfermidades. Quando a sua alma fizer uma oferta pelo pecado, ele verá a sua semente, prolongará os seus dias, e na sua mão será próspera a boa vontade de Jeová.”

         Por que o Pai se agradou em esmagar a Cristo, e não em livra-lo desse Cálice de dor? O Pai não amava o seu único Filho?

         Demorei muito tempo para entender esse aparente paradoxo, mas quando finalmente entendi, ficou claro que o Pai não se agradou objetivamente por esmagar a Cristo, mas se agradou porque era a única forma de conseguir obter os seus outros filhos que viriam por meio daquele sacrifício, ou seja, Ele se agradou em esmagar a Jesus, porque atrás desse sacrifício, Ele viu a você e a mim sendo alcançados pelo Sangue que estava sendo derramado.

         Outra razão que vemos no livro de Isaías para a alegria do Pai é que Ele não via apenas o esmagamento da morte sobre o seu Filho, mas assim como disse Isaías, Ele via a sua semente, seus dias prolongados pela Ressurreição, isso é o que realmente completa a Alegria do Pai, Salvação por meio do Sacrifício, e Vida Ressurreta derrotado por fim a morte.

 

Suor e Sangue

         Naquele momento no Getsêmani, a Palavra de Deus diz, que Jesus estava tão angustiado, que vasos sanguíneos se romperam em sua face e se misturaram ao seu suor, de maneira que grandes gotas do seu precioso Sangue caiam no chão.

         Se existe algo que devemos aprender com Jesus nesse episódio é a maneira como devemos reagir à aflição. A Bíblia diz que quando Ele estava em maior agonia, orou mais intensamente ainda, e foi aí que seu suor se tornou em Sangue, quando diante da dor, do abandono do Pai e de toda angústia, resolveu ser fiel até a morte e fazer a Vontade do Pai e não a sua.             Precisamos aprender isso urgentemente: Em agonia ore mais, em dor intensa, clame mais intensamente, e se seu suor se misturar ao seu sangue, finalmente seu esforço terá se unido à sua entrega completa. Dessa maneira e só dessa maneira seremos um com Ele, escolhendo ser fiéis até a morte e escolhendo a Vontade do Pai e não a nossa.

 

Levantai-vos

         Depois de passar por toda angústia, após resolver levar até o fim a sua entrega, Jesus se levanta resoluto e encontra os seus discípulos dormindo, e então dá a eles uma ordem dizendo: LEVANTAI-VOS!!!

         Existe algo que precisamos nos atentar urgentemente, e é que todos aqueles que são lavados pelo Sangue da Fidelidade, que brotou do rosto de Jesus quando se misturou com seu suor, precisam se levantar, precisam acordar do seu sono maligno. Todos os que dormem espiritualmente caem em tentação. Se você vive reclamando que tem caído nesse ou naquele pecado, que não consegue dar um reviravolta em sua vida, que acha que sua família, ou seu trabalho são o problema, ACORDE, o problema é você mesmo. LEVANTE-SE!!!

         É chegada a hora de despertarmos desse sono maligno e pecaminoso, que satanás impôs sobre nós. Seja fiel até a morte, faça a Vontade do Pai e não a sua, e se levante nessa geração, dessa maneira veremos o agir de Deus poderosamente em nossa vida, Igreja e família. Mas para isso Beba o Cálice da Fidelidade, que seu suor se misture com o seu sangue, seu esforço com a sua entrega, e que cada um de nós se levante hoje para impactar a nossa geração!

Pr. Jasinho

 

<< Mensagens Anteriores